CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral Portal de Jornalismo ESPM RJ

As novas tendências trazidas na Fashion Week

Compartilhar

Os olhos de todos os amantes da moda se voltaram para a Paris Fashion Week, que aconteceu durante os dias 27 de setembro a 05 de outubro. O evento apresentou as novidades para a moda feminina primavera-verão 2022, além de reunir as maiores marcas de alta costura, a volta da presença do público após o início da pandemia também foi muito comentada. 

O fotógrafo Gerson Lirio trabalhou durante essa semana tão popular, indo aos desfiles de Paris e Milão, e fotografando os looks das modelos e de outros famosos que também estavam presentes. Para ele, estar lá depois de tantos meses em meio à quarentena criou uma sensação de volta ao mundo normal. “Apesar do fato de ter que usar máscara em eventos fechados, todo o resto me pareceu bem como se não houvesse covid… os desfiles cheios, as pessoas se saudando sem distanciamento, etc”, comenta.  

A última temporada é o assunto do momento, e cada capital da moda, como Nova York, Londres, Milão e Paris, apresentou suas coleções. Com a volta do público nessa temporada Summer-Spring 2022, as marcas resolveram se arriscar e trazer uma mensagem otimista para as passarelas. A Doutora em Ciências Sociais pela UFRRJ e autora do livro Moda e Sustentabilidade, uma Reflexão Necessária, Lilyan Berlim conta que vê no evento uma celebração da vida que há tempos não se via na moda: “Estamos em um momento de comemoração do final do isolamento, reparei que há muita alegria, um certo entusiasmo, romantismo, uso de cores”.

Durante a quarentena, as coleções de grande parte das marcas focaram em looks mais confortáveis, oversized e que não chamavam muito a atenção, uma vez que as pessoas não saíam de casa. Marco Quadros, influencer de moda no Tiktok, fala sobre a diferença na apresentação das roupas na nova temporada: “Com a volta dos desfiles, vemos uma alfaiataria bem cortada, apostas em looks mais sexys para o verão, uma busca de liberdade e a volta aos escritórios”. Ele também pontua o fato de elementos praianos terem aparecido fortemente durante a semana de moda, o que reflete o desejo do público de sair e viajar.

A primeira capital a apresentar o Fashion Week foi Nova York, que trouxe às passarelas looks com recortes que realçam a sensualidade, além de trazer apostas no street style, cores vibrantes e neon. Destaque para os desfiles da Carolina Herrera e Michael Kors, que marcam seus 40 anos de existência, e as tramas manuais apresentadas pela marca de Gabriela Hearst, em parceria com comunidades Navajo pelo Uruguai e Bolívia. A coleção está alinhada com três ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), e foram utilizados tecidos de estoque morto ou materiais recicláveis para a composição de 38% das peças.

Gabriela Hearst (Foto: Thomas Concordia)

Michael Kors ss22 (Reprodução: Vogue.com)

Carolina Herrera (Foto: Getty Images)

Brandon Maxwell (Reprodução: Vogue.com)

Os eventos mais esperados, certamente, foram os da temporada europeia. O London Fashion Week aconteceu de maneira híbrida, com algumas coleções sendo apresentadas presencialmente e outras virtualmente. Seguindo a estética de Nova York, os desfiles londrinos também trouxeram para as passarelas cores vibrantes e otimistas, além de muitos recortes nas peças de roupa para exaltar a sensualidade. Um dos desfiles presenciais foi o de Simone Rocha, na igreja medieval de São Bartolomeu, que teve o intuito de mostrar a experiência da maternidade. 

Simone Rocha (Reprodução: Vogue.com)

Richard Quinn (Reprodução: Vogue.com)

David Koma (Reprodução: Vogue.com)

David Koma (Reprodução: Vogue.com)

A Semana de Moda de Milão apresentou nomes como Versace, Blumarine, Armani, Roberto Cavalli e Fendi, novos designers como Hui e N21, além das oito marcas brasileiras que apresentaram pelo Brasil Eco Fashion Week, entre elas HELENA PONTES e Natural Cotton Color. Ao total foram 62 desfiles e muita festa nas passarelas. A Versace apostou em silhuetas inspiradas na década de 60, muito brilho, maxi acessórios e novas possibilidades para peças clássicas como as meias-calças.

Versace (Reprodução: Vogue.com)

Versace (Reprodução: Vogue.com)

O desfile contou com a presença da cantora Dua Lipa; a marca também fez uma colaboração com a Fendi em celebração à amizade entre as casas, onde cada diretor criativo elaborou a coleção para o outro, com o nome de FENDACE, trazendo luxo e muita diversidade, principalmente com modelos mais velhas. Lilyan acrescenta que esse movimento de inclusão conversa muito com o tema da sustentabilidade, debatido na semana de Milão: “O que eu reparo do ano passado pra cá é como moda tem se expandido da economia circular para a inclusão, para o questionamento sobre consumo, a diminuição de lançamentos, inclusão de diversidade”.

FENDACE (Reprodução: Vogue.com)

Blumarine (Reprodução: Vogue.com)

A estética dos anos 2000, que tem ressurgido com força na internet e nas ruas atualmente, foi abordada pela italiana Blumarine, ela traz uma atualização moderna para o estilo, sem deixar de usar referências importantes como recortes, tecidos fluidos, estampas, jeans, cores, sandálias, acessórios coloridos. O influenciador digital de moda Marco Quadros contou que as cores, sem dúvidas, são as maiores tendências do próximo verão: “Verde e laranja foram as maiores apostas. Recortes, minissaias, moda praia, cintura baixa”. Maison Margiela e Fendi também trouxeram novas propostas de recorte e caimento. 

Para encerrar com chave de ouro, aconteceu a Paris Fashion Week, que contou com ilustres grifes para apresentar suas criações. Yves Saint Laurent trouxe elementos como micro comprimentos, modelagens apertadas e referências aos anos 80, tais como ombreiras e macacões apertados, em meio a um desfile com a Torre Eiffel ao fundo. Todas as marcas deixaram claro o tom otimista do fim iminente da pandemia em suas peças.

Yves Saint Laurent (Foto: Gerson Lirio x FASHION TO MAX)

Yves Saint Laurent (Foto: Gerson Lirio x FASHION TO MAX)

Além disso, um evento que marcou a semana foi o desfile da Az Factory em homenagem ao estilista Alber Elbaz, morto este devido ao Covid19. 46 marcas conhecidas (entre elas Valentino, Versace, Ralph Laurent, Balenciaga, etc) criaram looks inspirados no estilo do homenageado. Gerson Lirio comenta como foi marcante para ele: “Tinha muita emoção e comoção no ar”. O fotógrafo também cita o desfile da Balmain como um dos melhores momentos, misturando um  concerto de música com o desfile para comemorar os 10 anos de Olivier Rousteing como diretor criativo da marca.

Balmain (Reprodução: Vogue.com)

Lilyan comenta que o conceito da alta costura, “Talvez seja o ponto máximo do simbólico da moda”. Isso foi observado diversas vezes nesta temporada, com a exposição de possibilidades, emoções, homenagens e uma visão do futuro através do olhar da moda. Agregar essas ideias a eventos de moda como o Fashion Week transformam, certamente, a forma de ver os desfiles.

Reportagem: Gabriela Leonardi, Isys Bueno e Juliana Ribeiro

Supervisão: Brenda Barros 

Imagem de capa: DRIES VAN NOTEN (Foto: Gerson Lirio)

Tags:
Artigo anterior

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *