CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral Portal de Jornalismo ESPM RJ

Pandemia X Futebol Americano no Brasil

Compartilhar

Segundo uma pesquisa feita pelo projeto “Esporte em Pauta”, o futebol americano era o esporte que mais crescia no Brasil,  mas com a chegada do novo coronavírus, esse cenário mudou. Devido a instabilidade provocada pelo COVID-19, todos os campeonatos, tanto estaduais quanto nacionais foram cancelados, e até o momento não existe previsão de voltar aos gramados. O período de pandemia afetou a todas as equipes, porém algumas sofreram mais que as outras com suas consequências. 

Esse é o caso do Ufersa Petroleiros, o técnico Armando Gomes relatou como o time foi afetado durante o tempo sem treinos e competições.“A pandemia afetou a parte financeira e esportiva do clube. A falta de eventos, venda de produtos e ingressos levou o time a terminar o ano de 2020 no vermelho.” O treinador mossoroense conta que com a paralisação das atividades, os atletas perderam o ritmo, e por se tratar de um esporte amador como é o futebol americano no Brasil, muitos jogadores perderam o preparo e a motivação de continuar jogando.

Esse é o panorama de quase todas as equipes brasileiras, o Vasco Almirantes por exemplo, que é referência do esporte no Brasil, também sofreu com a pandemia. Segundo Bruno Barandas, o técnico principal da esquadra carioca, esse período foi conturbado. “No início da pandemia tentamos estabelecer via reuniões online os treinamentos para os atletas e comissão, porém ao longo do processo as atividades perderam intensidade”.

Com a possibilidade do retorno aos gramados em 2021, o técnico pontua que terá que ser realizado com bastante cautela. “Existirá uma preocupação administrativa, técnica, tática e física para o nosso retorno, visando não lesionar os jogadores e voltar com sucesso às competições”, declarou o comandante do cruzmaltino. Outra questão que inviabiliza a preparação dos jogadores em casa é o acompanhamento individual em relação ao corpo, tendo em vista que cada atleta tem um biotipo diferente. 

A organização dos times e das rotinas dos jogadores também foram abaladas. Marcelo Terra, recebedor do Flamengo Imperadores, relatou um pouco sobre esse momento. “Tivemos que adotar o isolamento social por um grande período afetando de maneira direta os treinos. O grande desafio nessa parte dos treinamentos online era manter a constância na dieta e tentar se manter saudável até que voltasse a rotina normal”, diz o atleta.

Marcelo enxerga com bons olhos os planos para o futuro e elogia a colocação do clube. “Estamos aguardando o posicionamento e a melhora da situação nacional para o retorno, fora isso mantemos o isolamento e os treinos individuais, tendo uma equipe bem completa e acessível que nos auxilia até o retorno das atividades”, completou.

Algumas equipes brasileiras já retomaram suas atividades, como o Timbó T-Rex, que em 2021 anunciou a contratação de vários atletas e já começou a preparação para as competições presencialmente. Infelizmente, essa não é a realidade da maioria dos times, mas na posição atual do esporte, resta acreditar que esse ano vai ter temporada.

 

Texto: Alberto Ghazale e Lucas Guimarães

Supervisão: Ana Júlia Oliveira, Camila Hucs e Carolina Mie

Tags:

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Próximo