CARREGANDO

O que você procura

Destaque

Fora de casa – Manoel Olavo da Cruz

Compartilhar

Enquanto no município do Rio de Janeiro, segundo o prefeito Marcelo Crivella, houve uma queda na propagação do vírus, a Secretaria da Saúde divulgou dados que mostram que em Petrópolis houve um crescimento de 454% nos casos de Coronavírus em apenas um mês. Apesar de todas as orientações e decretos municipais estabelecendo restrições, os petropolitanos insistem em sair de casa para realizar atividades não essenciais.

Diferente dessas pessoas, o motorista de aplicativo Manoel Olavo da Cruz, 60 anos,  precisa trabalhar fora de casa para ajudar no transporte diário e conseguir sua renda. No entanto, por conta da quarentena, ele afirma que sua rotina de trabalho caiu 70%. Para comentar sobre a situação do transporte local nesse momento, o Portal entrevistou Manoel.

Portal: Como está o movimento nas ruas?

Manoel: Eu acho que tem muita gente na rua, muitas pessoas estão passeando. Não estão fazendo nenhuma obrigação que não podem deixar de fazer, estão circulando na rua de bobeira. Quando veio o alarme de pandemia, sumiu todo mundo, mas as pessoas foram perdendo o medo e voltaram para rua. 

Portal: E o trânsito? Há muito engarrafamento?

Manoel: Antes estava uma beleza, mas agora tem até engarrafamento. Tem muito carro na rua, parece que as pessoas pegaram confiança e perderam o medo.

Portal: Quais bairros você costuma trabalhar? O fluxo de pessoas nestes locais diminuiu?

Manoel: Eu trabalho na maioria dos bairros, Mosela, Bingen, Corrêas… Tem bastante fluxo de gente, até as vagas de carro que antes tinha a vontade, estão ocupadas. Os bairros estão lotados, parece até que é festa.

Portal: Quais medidas você está tomando para evitar o contato com os passageiros?

Manoel: Bom, eu estou usando máscara, tenho álcool em gel e líquido, tudo 70. Quando o passageiro entra, peço para ele passar álcool nas mãos e quando ele sai, eu passo álcool nas maçanetas, no botão do vidro e no banco, que é de couro, então não há problema. Muitas pessoas entram e não querem higienizar as mãos, porque já fizeram em casa, mas mesmo assim, insisto que passem por conta do toque nas maçanetas. Até quando recebo o dinheiro, passo álcool nele também e jogo no potinho do dia a dia pra fazer o troco. 

Portal: E quais medidas o aplicativo para qual você trabalha está aderindo?

Manoel: A Uber agora mandou uma mensagem dizendo que só posso transportar até três  passageiros com máscara, três atrás e apenas o motorista na frente.

Portal: A sua carga horária de trabalho foi afetada pela pandemia?

Manoel: Foi afetada sim e muito. Antes eu trabalhava a noite também, agora eu saio de casa 8 horas e às 20 horas já estou deitado em casa vendo novela. Isso acontece porque não tem mais movimento noturno, não tem mais boates, casas de festas, bares. Então, 20 horas eu não tenho mais nada, some todo mundo. Fica claro que mudou minha rotina, estou descansado até demais, como eu falei, caiu 70% meu movimento.

*Imagem em destaque: Leon Neal / Getty Images

Reportagem: Ana Júlia Oliveira, Gabriel Lorenzo, Gustavo Vieira, Lucas Geia, Paola Burlamaqui e Ricardo Ferro

Supervisão: Maria Luísa Martins

Tags:

Você pode gostar também

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Próximo