CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral

A pandemia para os intercambistas

Compartilhar

Os brasileiros que estudam no exterior têm sido impactados pelas medidas estabelecidas devido à Covid-19. Conforme a pandemia avançava, governos de muitas regiões fecharam suas fronteiras, o que resultou em diversas pessoas presas em países estrangeiros. Outro cenário comum são os brasileiros que conseguiram voltar para o Brasil a tempo, porém não conseguem mais retornar para o local onde estudam. Visto que as fronteiras estão fechadas para brasileiros em países como Estados Unidos, Reino Unido, Itália, França, entre outros.

Além dos brasileiros, intercambistas do mundo todo foram afetados com a pandemia. Os motivos são diversos, mas se destacam a saudade da família, fechamento de fronteiras por tempo indeterminado e as dificuldades financeiras de se sustentarem em um país com a moeda mais alta que o de origem. Na Universidade de Lisboa, por exemplo, os alunos estrangeiros chegaram a solicitar bolsas para que consigam continuar se mantendo no país e na faculdade.

Com as fronteiras fechadas, muitos estudantes estão impossibilitados de voltar ao país em que cursaram suas universidades, que é o caso de Emery Sii. Emery é natural da Malásia, mas se mudou para a Austrália para cursar performance em bateria, mas, com o COVID-19, retornou ao seu país e parou os estudos. O malaio conta que quando soube da pandemia, já esperava a situação. Ao voltar para seu país trancou o curso, mas tenta manter uma rotina de estudos, mesmo que seja complicado: “é um momento muito difícil estudar sem professores ou mentores me orientando, mas estou tentando o meu melhor”.

Mariana é brasileira e estudava na França quando a pandemia começou e, assim como Emery, voltou para o seu país e não pôde retornar para os estudos. Ela relata sobre as dificuldades com horários. “Eles tentaram remanejar a situação para que ficasse confortável o horário das aulas e provas para todos. Mas obviamente não tinha como ficar perfeita a situação e acabou que eu tive aula às três/quatro da manhã e isso realmente complicou”. Mariana também contou que já tinha planos feitos, dentre eles um emprego em uma loja garantido e a procura de um estágio, então voltar ao Brasil teve que desfazer seus planos. Ao retornar decidiu que era melhor trancar a faculdade por um tempo e disse que foi uma decisão difícil. Mas acabou sendo muito bom, pois conseguiu um estágio no Rio e as coisas se encaixaram.

A brasileira Jade Rezende,  de 19 anos, que estudava na Universidade Goldsmiths em Londres fala um pouco sobre o que levou ela a tomar a decisão de voltar para o Brasil, após o lockdown imposto pelo governo britânico. A jovem conta que a solidão dentro do apartamento e a questão financeira foram os dois grandes fatores que ajudaram na decisão. “Eu estava tendo que gastar dinheiro com mercado e com contas do dia a dia  para nada, pois eu estava literalmente ficando presa em casa. Aqui no Brasil pelo menos nós pagamos tudo em real” relata.

Sem conseguir voltar para o Reino Unido devido ao fechamento das fronteiras, a jovem lamenta estar perdendo a experiência de estudar, presencialmente, em uma universidade no exterior. Ela conta que tinha planos de deixar o Brasil ainda este ano. “Mas com a situação atual, e o rumo que ela parece estar tomando, realmente acho difícil eu voltar em 2021”. Apesar de toda a incerteza, Jade já possui comprada a passagem com destino à Inglaterra. 

O intercambista Victor Ladeira também estava morando na Inglaterra quando o lockdown começou. O estudante, que ficou preso em Birmingham, relata sobre os meses que passou sozinho, sem ter nenhum contato físico com outra pessoa. “As pessoas começaram a ir embora, isso foi uma coisa que me marcou muito, até que teve uma hora que eu fiquei sozinho”. Diante disso, Victor encontrou na música a solução para se manter ocupado. O jovem conta que focou em aprender mais sobre o programa de produção de música, qualidade de som e composição.

Os estudantes de intercâmbio são um dos mais esquecidos nessa pandemia. Ficaram sem apoio financeiro, sem expectativa de futuro para a volta às aulas, planos desfeitos e inúmeras dificuldades. Os estudantes, em sua maioria, pretendem voltar a estudar, mas não conseguem ter certeza de quando. Mas as expectativas são grandes para um retorno breve.

Reportagem: Brenda Barros e Juliana Ribeiro

Supervisão: Ana Júlia Oliveira, Camila Hucs e Carolina Mie

Tags:

Você pode gostar também

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *