CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral

Fenômeno do Tik Tok: muito além das ‘dancinhas’

Compartilhar

O TikTok é uma das redes sociais que mais cresce no mundo, com milhares de contas novas sendo criadas todos os dias; e no Brasil não é diferente. Segundo um levantamento realizado pela Statista, empresa alemã especializada em dados de mercado e consumidores, o Brasil é o segundo país que mais usa o TikTok no planeta. Sua popularização aconteceu rapidamente através das coreografias e da facilidade do uso do app. A plataforma já une no país quase cinco milhões de usuários, ficando atrás apenas da China. 

O aplicativo ganhou força principalmente em 2020, no período de confinamento por conta da pandemia do coronavírus. Durante esse tempo, foi um refúgio de lazer para muita gente, principalmente os jovens, como apontado por um levantamento da “WeCreate” de 2021, que mostrou que apenas 4,76% dos criadores de conteúdo no TikTok têm mais de 35 anos de idade.

O crescimento da plataforma possibilitou os seus influenciadores a ganharem bastante notoriedade através das visualizações das pessoas. A tiktoker Gabriela Moura é estudante de publicidade e conta que apesar do aplicativo não monetizar os vídeos postados como o Youtube, por exemplo, ela abre diversas portas no mercado de trabalho: “o TikTok possibilita que eu feche parcerias de publicidade com diversas marcas, a partir daí, cobro uma certa quantia pelo meu trabalho”, pontuou Moura.  

O fato do espaço digital do Tik Tok estar em alta no momento e estar entre as redes sociais mais utilizadas no mundo, desperta o interesse de diversas empresas em colocar sua imagem e estar presentes na plataforma. Se de um lado, a plataforma gera oportunidades para as grandes companhias fazerem marketing e alcançarem consumidores, do outro, ela também abre portas para quem decide ser influenciador nesse meio. Gabriela afirma que uma das coisas que mais lhe impressionou foi como tantas oportunidades apareceram para ela através do Tik Tok: “Conheci várias pessoas inspiradoras e fui em vários eventos que me apresentaram novas possibilidades e conhecimentos que eu nunca teria se não fosse por conta da plataforma“.

A paulista Tatiana Cukierman (20), atualmente estudante de arquitetura, já usava a plataforma quando o nome ainda era Musical.ly. Em 2018 o nome foi alterado para Tik Tok, depois do aplicativo ter sido comprado pela empresa chinesa ByteDance. Tatiana voltou a usar a rede em 2020 na pandemia, apenas por entretenimento, mas após seus vídeos fazerem sucesso, ela passou a movimentar mais o seu perfil: “depois de uns 4 meses gravando comecei a ganhar muitos seguidores e muita visualização e comecei a investir nisso, postar todo dia, mais de uma vez. Muita gente começou a ir para o Instagram também.” 

Hoje, a estudante já conta com mais de 56 mil seguidores na plataforma. Mesmo tendo milhares de visualizações nos seus vídeos, ela não deixa de ser uma consumidora de conteúdo do Tik Tok, e destaca a facilidade de achar os mais variados assuntos utilizando a busca com hashtags: “É minha rede social favorita, se deixar eu fico umas 4 horas lá. Eu gosto porque tem entretenimento de tudo, comida, moda, dancinha, humor. Normalmente são vídeos rápidos que chamam sua atenção”.

Já o estudante de jornalismo Renato Vicente, conta que começou por hobby. Fazia vídeos sem levar a sério, mas aos poucos as pessoas foram gostando e começando a acompanhar e a proporção de tudo aumentou. Hoje já acumula mais de 1 milhão de seguidores na sua conta. A trajetória de Renato na rede social, é marcada pela grande interação que obtém com seus seguidores. “Como eu faço vídeos comentando assuntos sérios, as pessoas começaram a me enviar situações que ocorriam no dia a dia pedindo para que eu as comentasse” explica.

Para o carioca de 20 anos, o Tik Tok se destacou entre as redes sociais pela rapidez e facilidade com que se pode consumir os conteúdos. “Ele é muito mais ágil que as demais redes, fazendo com que as pessoas prefiram usá-lo para se distrair, se informar e se divertir, sem perder muito tempo”, comenta Renato.

O aplicativo, conta com a aba “For You’’, que significa “Para Você”. Essa é a área onde os usuários passam a maior parte do tempo. Lá, cada pessoa encontra recomendações de vídeos baseadas nos seus interesses. O feed é alimentado por um sistema de recomendação que entrega conteúdo para cada usuário, e isso é feito através de algoritmos. Segundo o blog do próprio Tik Tok, pessoas diferentes podem encontrar os mesmos vídeos, mas o feed de cada pessoa é único e personalizado para o indivíduo específico

A atuação do algoritmo é essencial para o sucesso do aplicativo, e constantemente motivo de debates entre os usuários. Ele é determinante para definir o alcance de um vídeo e quem vai ter acesso a ele ou não. Se o usuário posta com frequência, interage com os seus seguidores, a chance do perfil crescer é grande. Tatiana conta que já estudou sobre o algoritmo do Tik Tok, apesar de muitas vezes ser difícil compreender como funciona. “Não é tão fácil e rápido, a primeira hora é a essencial, porque se o seu vídeo chega em muita gente o algoritmo entende que esse conteúdo é “bom” e “começa a entregar para muito mais pessoas’’. Já para Renato, o algoritmo joga ao lado dos usuários: “Ele favorece a sua busca pelo que você procura. Fora que, para quem cria conteúdo, te dá uma velocidade muito maior para ampliar seu crescimento”. 

Outro fenômeno que se destaca nas discussões sobre o aplicativo é o seu público.  Segundo uma pesquisa do site Business of Apps, cerca de 59% dos usuários do TikTok são mulheres, 39% são homens e 2% são pessoas que não se identificam como pertencentes a esses dois gêneros. 66% do total de usuários são pessoas abaixo dos trinta anos de idade. Renato confessa que seu público, em sua maioria, está entre a faixa dos 16 aos 24 anos, e a predominância é o feminino. Mas não se limita apenas a essas taxas: “ainda assim, tem gente de todas as idades. Consigo fugir bem do padrão do aplicativo”. 

Além das danças e vídeos engraçados, também é possível encontrar muita informação no Tik Tok. Por ser um espaço muito dinâmico e diverso, existe uma troca muito grande entre os usuários, como explica Gabriela: “Por ser uma plataforma enorme e global, ela faz com que você tenha acesso a inúmeras culturas e conheça pessoas do mundo todo.”

A rede reúne o público mais jovem, que tem por costume trazer debates e temas importantes para a internet, assim, o Tik Tok vem se transformando aos poucos em um ambiente também de aprendizado e em ferramenta de transformação e conscientização sobre vários temas.

Reportagem: Filipe Bias, Leo Garfinkel e Luana Maia 

Supervisão: Brenda Barros 

Tags:

Você pode gostar também

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *