CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral Portal de Jornalismo ESPM RJ

A importância de projetos sociais na pandemia

Compartilhar

A atuação de projetos sociais tem sido essencial em meio à pandemia do coronavírus. Isso ocorre pois muitos problemas que o Brasil já enfrentava, como o desemprego e a fome, foram agravados, o que afetou ainda mais as pessoas vulnerabilizadas por esses fatores. Com a alta do preço dos alimentos, por exemplo, o acesso à comida tem sido um desafio para grande parte da população brasileira. Segundo pesquisadores da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), cerca de 19 milhões de brasileiros passaram fome no decorrer da pandemia da Covid-19, quase quatro vezes do registrado em 2019. Além disso, em 2019, o Brasil retornou ao mapa da fome, do qual estava fora desde 2014. 

Com a crise financeira enfrentada pelo país nesta pandemia, o número de alimentos doados diminuiu, o que deixou as ações e seus dependentes  prejudicados. Isso faz mais pessoas irem às ruas atrás de comida e ficarem vulneráveis ao vírus, formando, assim, um ciclo de contaminação. Desse modo, os projetos solidários desempenham um papel chave nesse cenário, oferecendo assistência aos indivíduos carentes.

O Projeto Dana, liderado por jovens em Niterói, distribui kits de higiene pessoal e alimentos a moradores de rua. A ação social começou com o intuito de auxiliar essas pessoas na pandemia. Bruna Freire, voluntária do projeto, explica a importância de ajudar o próximo e como a fome é um fator que afeta a todos. “A vida não para. Eles têm fome e necessidades todos os dias, assim como todos nós. É pensar que você precisa ajudar alguém sem nenhum apoio que deveria receber pelo governo. “

Bruna acrescentou que a equipe sempre tenta se relacionar e simpatizar com os beneficiários, pois a sociedade tende a invisibilizar esses indivíduos. “As pessoas passam, não dão um bom dia nem olham no rosto, então a gente tenta agir de forma diferente. Saber o nome, mostrar que você se importa e os enxerga, é algo que gera uma diferença na vida deles”, ela complementa. Dessa forma, a ajuda voluntária desses grupos além de distribuir alimentos, cumpre um papel social.

Também em Niterói, o Projeto Restaurar, fundado por Patrícia Alecrim, na pandemia, em 2020, distribui cestas básicas para pessoas com baixa renda pela cidade e em alguns locais de São Gonçalo. Thayná Silva, beneficiada pela ação, está entre os 14 milhões de brasileiros desempregados em 2020, dados informados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ela estava grávida quando foi afastada de seu cargo como auxiliar de educação e passou a receber cestas para ajudar no sustento de seus dois filhos.

Essas histórias são representações de como os projetos sociais são necessários e dão amparo às famílias abaladas pelo coronavírus. Em vista a baixa no número de doações, esses projetos precisam de maior visibilidade e apoio para continuarem desempenhando as suas atividades. Patrícia reforça que não há doação pequena e qualquer contribuição é válida. “Você junta o pouco de muitos, que vira muito para ajudar pessoas que precisam tanto”. 

Reportagem: Ana Beatriz Miranda e Deborah Lopes.

Edição: Deborah Lopes.

Supervisão: Camila Hucs, Gabriela Leonardi, Paola Burlamaqui e Yan Lacerda.

Tags:

Você pode gostar também

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *